Teresa

quinta-feira, 8 de maio de 2008 às 17:07

etiquetado como e


The Doors - LA Woman
morder quem, lambuzar onde, esconder os dedos quando,
- e tudo cai em ordem perfeita,
num peito apressado, com fúria e mais,
onde sabemos que a estrada termina,
naquele precipício que nos rasga o ventre,
empurrando a saliva dos dentes,
gulosos por mais.

- podendo parecer perfeito,
são ondas que rebentam no areal,
explosões de cores e braços que se agarram,
embaraçados nos cabelos que nos levam,
elevam a um passado próximo,
irreal sonho na verdade banal,
deixada no ocaso de mais um beijo roubado.

são lágrimas que nos separam,
aquelas que descem dos céus,
minguando os riachos e oceanos,
bravos, nos nossos olhos,
naquela verdade, de garganta decepada,
naquela verdade enganada.

a impossibilidade do impossível,
improbabilidade, choque entre cometas,
largados à deriva, à distância de uma estrela,
em 31 órbitas, esganadas,
na queda em chamas, crash and burn.



J

2 Comentários:

Enviar um comentário