cortes e recortes

domingo, 30 de dezembro de 2007 às 03:21

etiquetado como

irei surpreender-te um dia, lento,
num amanhecer trivial,
mostrar-te novos mundos além do muro que te cerca,
enquanto que se recuperam os velhos tempos.

mostra-te, espalha o pó que te eleva pelas cinzas do passado, nada irá mudar, apenas tu és capaz, alcança as estrelas, aquelas que luzem no fundo do poço, lá fundo, sem respirar, e o tédio que se afoga lentamente.

é da maneira que desces, e não durmas, nunca.

------------------------------ x ------------------------------------------

sei que me apoiaste, que não lá estive para ti, não me importo. era a força que te empurrava para mim que me interessava, nada mais. desejo-te num filme pornográfico, numa foda em privado com o asfalto, em queda abrupta de braços abertos, desejo-te novamente, regressa.

--------------------------------- x--------------------------------------------

escrevo porque me interesso em carne viva pelas tuas reacções
- ficas tão bonita assim, frustrada.

quero que te fodas, especialmente se for comigo
- especialmente se for comigo, a sério.

dorme bem, agarrada a mim, memória vaga da névoa onde vislumbraste o teu d. sebastião, salvador patriota, merda da pátria. foste enganada. subida em cometas, descidas ao inferno.

como eu lamento, só deus sabe - não esse deus, o outro - como eu o lamento.

--------------------------------- x- -----------------------------------------------

ergue-te e caminha, disse... alguém, não me lembro quem, que interessa, tinha razão - eu e não ele. baah. isto não é uma manifestação, não há nada para ver aqui, move along, move along.


J

Publicar um comentário