água

segunda-feira, 12 de julho de 2010 às 10:57

etiquetado como


Karate - Water
revoltam-se os braços,
numa longa e fraterna disputa,
que acariciam recados sussurrados,
e nós ali embrulhados.

Corrias o mundo lesta,
feita relâmpago fugaz de vida,
de bocejos pelas paragens


Cadáver,
ergue o teu semblante pálido,
corre desnudo do espírito,
mergulha com as mãos na carne cinzenta,
e dissolve a rápida sucessão de imagens
com a violência com que o pus se desfaz no chão.

Cadáver,
ouve o murmúrio frio roubado das noites criadas,
deixadas vagas, embrionárias,
- revolve as tuas ancas ao ritmo da enferma carcaça do destino.

Luxuriante explosão que mancha as nuvens em púrpura ilusão.


J

Publicar um comentário