XXXIX

segunda-feira, 26 de agosto de 2013 às 14:30

Na imaginação deixava os braços descaídos
dados como vencidos,
mas quão alto que era o voo
embalado nas mandíbulas frágeis do momento
    envoltos numa névoa de brilhante azul
diamante, meteoros eternos na queda eterna
e sentia o peito saltar fora
    no sussurro do nome
        com a delícia do eco
            na boca



não havia ilha maior
para tamanho naufrágio





J

2 Comentários:

Nem havia no mundo vontade menor e mais fraca de se salvar.
Imagino.

Se para uns a salvação é encontrar a terra prometida, para outros só desconhecido do naufrágio importa :- )

Obrigado Camila!

Publicar um comentário